sexta-feira, 4 de julho de 2008

Por que?

Momento revolta.
Não me bastassem as três cesarianas que já relatei aqui no Blog, agora me aparece uma muito pior.
Pergunto para o boy, q acabou de ser pai:
- E aí, Bruno, como está sua bebê?
- Ah, acabou de ir no médico,
-Mas o q ela tem?
- Então, a minha mulher estava sem bico no peito (como assim, existe peito sem bico? Eu nunca vi), e o médico mandou ela dar o Nam, misturado com o Ninho (pq ele não tem dinheiro, coitado)!!!
Imaginem aqui a minha cara de horror!! Com certeza mto pior do q vcs podem imaginar.

...continuando

-Daí, essa semana a minha mulher começou a dar o leite do peito também (ufa!!!), e só complementar com o Nam, mas então a menina começou a vomitar, e o médico disse q ela havia se acostumado com o Nam e que o leite do peito estava fazendo mal.

Para tudooooooooooooooo!!!!

Olha, juro q não me contive. Como assim o leite materno fazendo mal??? Gente, que mundo é esse?? Então o saudável é o Nam??

-Olha, eu não quero me meter, mas não posso ficar quieta. MUDA JÁ DE PEDIATRA!!!! Esse cara é um idiota, como mandar dar Nam para um recém nascido pq a mãe não tem bico?? Como falar q o q está fazendo mal é o leite do peito e não o Nam??? Olha, esse imbecil só pode receber comissão da Nestlé, ou algum patrocínio, ou é só um retardado mesmo!!!
O moleque me olhou com uma cara de assustado... ô dó!!

Impressionante como somos vítimas da nossa ignorância. Impressionante como deixamos de questionar certas coisas de fundamental importância na nossa vida!!
Quando somos crianças qualquer dúvida vem acompanhada do celebre “por que”? Agora eu pergunto: Por que perdemos essa capacidade tão simples e arcaica? Por que adotamos o conformismo como estilo de vida?
Ah, deve ser porque dá menos trabalho. Nesse momento me vem a mente aquele personagem do Auto da Compadecida, o Chicó: “ah, não sei, só sei que foi assim”
Uma pena perdermos essa curiosidade da infância, onde não aceitamos um “porque sim” como resposta, e o primeiro “por que” vem sempre acompanhado de tantos mais.
Veja bem que isso é inclusive uma auto-crítica, porque eu mesma, muitas vezes, por falta de tempo na maioria delas, e por vergonha em outras mais, deixo de exigir explicações acerca de assuntos que, não raro, são de meu inteiro interesse.
E o pior de tudo é que, infelizmente, por mais triste que isso seja, as vítimas de nossa “ignorância” nem sempre somos nós mesmos!!
Fica aí uma reflexão, vamos parar de ser espectadores de nossa própria vida, deixemos de aceitar respostas vazias, sem conteúdo, frívolas e obscuras.

3 comentários:

Tata disse...

é fogo mesmo ter q ouvir e ver essas coisas...
agora, Carol, eu sei q existe sim um problema q é não ter o bico formado (bico invertido ou algo assim), mas tem solução e dá pra amamentar sim, mas precisa orientação e vontade né...
é fogo, minha amiga, é fogo!!

Ricardo disse...

a militância se atenuou, mas o engajamento continua...

ana b. disse...

carol, "não ter bico" é ter o bico invertido, isso existe mm. é como a renata falou, dá um pouquinho mais de trabalho, mas claaaro q dá pra amamentar!
o problema é a assistência do cuidador (médico ou enfermeira), q acha mais fácil receitar um leite artificial...
fogo, viu? e muito triste!
bjs
a.