sábado, 22 de maio de 2010

Esvaziando a alma

As grandes decepções costumam vir de onde menos esperamos. Que busquemos força para mantermos nossos princípios e termos piedade daqueles que sequer são capazes de compreender o sofrimento do próximo.

Amar não é compartilhar apenas o lado bom da vida.... isso é muito fácil para ser amor, não seria tão simplório assim. O verdadeiro amor é aquele que se manifesta nos momentos de tristeza, é um olhar de compreensão, um abraço de companheirismo, uma palavra de consolo, um gesto de gentileza. É na dor que temos a chance de enxergar por detrás do invólucro, é nela que se manifestam os reais valores que cada um guarda dentro de si.
 
Eu sou daquelas que se doam por completo. Eu sofro junto, choro junto, rezo junto, grito junto... ainda que em silêncio. A minha essência é contrária à indiferença. Se estou certa ou errada? Não sei. Se sofro mais do que deveria? Bem capaz. Se me preocupo em excesso? Muito provável. Se conseguiria ser feliz de outra forma? Certamente não.
 
É incrível como certos gestos magoam a gente de uma forma tão profunda, que sequer conseguimos sentir raiva, ódio ou rancor. Hoje eu me sinto assim, com o coração esvaziado pelo descaso, com a alma enfraquecida pela ausência, mas com o peito ainda mais fortalecido para ajudar aqueles que sei que estão precisando de mim, e que comigo sempre poderão contar.
Porque eu sou assim inteira, e inteira sempre hei de ser. Graças a Deus.
 

3 comentários:

Nana disse...

Que lindo!
É esse tipo de coisa que enobrece uma pessoa. E pessoas assim são raras hoje em dia. :)

Albuq disse...

Teu texto é tão vivo Carol, tão cheios de sentimento, tão intenso e ao mesmo tempo tão livre.
Lindo, gostei muito! bjs

Anônimo disse...

Olá Carol, encontrei seu blog por acasoe adorei, me identifiquei muito com esse seu último texto, tão intenso, tão verdadeiro.
Parabéns pelas palavras, gostei muito.
Bjs
Juliana