terça-feira, 4 de maio de 2010

Me and myself

Hoje eu acordei com um aperto forte no coração, um vazio insistente no peito, e ao parar pra pensar no que estava acontecendo, sentada na cama antes de me levantar, surpresa, me dei conta de que eu estava com saudade. Saudade de mim.
Saudade de colocar meu tênis e sair correndo por aí. Saudade de me olhar no espelho sem uma multidão à minha frente me impedindo de enxergar a imagem nele refletida. Saudade de sentar para ler um bom livro sem desviar minha atenção a cada segundo. Saudade de me sentir plena e sem aquela angústia a me atordoar. Saudade de olhar o sol brilhando no céu e abrir um sorriso espontâneo, assim, de graça. Saudade de pisar descalça na areia, e sentir o geladinho do mar adentrando lentamente entre meus dedos. Saudade de chorar sem saber o motivo. Saudade de deitar na rede lá de casa, e escutar aquele grunhido chato e delicioso do vai e vem. Saudade de me perder em meus próprios pensamentos. Saudade de tomar um banho gelado de cachoeira, daqueles que libertam a alma e nos purificam por inteiro. Saudade de acordar tarde, com aquela dor no corpo, perdida no tempo e no espaço. Saudade de ficar de bobeira na cama, mexendo no cabelo, sem nada a pensar. Saudade de dançar, de pegar um cineminha, jogar conversa fora sentada no bar, soltar uma gargalhada boba sem razão.
Hoje bateu aquela vontadezinha de ser um pouco egoísta, de dizer não, não posso, não quero, não me interessa, não tenho tempo, não gosto, não faço, não ligo. Não. Por quê? Porque não!!!
Pois é, parando um pouco pra pensar eu percebi que tenho me sentido só, abandonada por mim mesma. Acho que por muito e tantos amar tenho me deixado meio de lado, como aquele boneca velha, que a gente tanto gosta, mas que ta lá, esquecida no fundo do baú, tão longe e tão perto, logo ali, ao alcance de nossas mãos.
Ainda ontem li uma frase, não me lembro de quem, que dizia mais ou menos assim:
“Felicidade é a única coisa que podemos dar sem possuir.”
Não concordo. Decerto que não.

4 comentários:

Albuq disse...

Oi Carol!

Adorei o texto, tenho essas saudades também.... e a frase é de Voltaire!

Nana disse...

“Felicidade é a única coisa que podemos dar sem possuir.”

Eu concordo. Inclusive, acho que muitas vezes o fato de dar felicidade a alguém, acaba nos trazendo felicidade.

Carol disse...

Albuq, obrigada por avisar!!

Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Carol...então se dê essa felicidade garota... se resgate!
você merece! Sempre e tudo!
beijocas,
Mari.